22 de setembro de 2008

Escravidão em Esparta

Passagem do livro de Tucídedes (IV, 80) que relata acontecimentos de 424 a.C.: “Ao mesmo tempo, havia nisto um pretexto conveniente para enviar para fora os hilotas, pois temia-se uma revolta deles, favorecida pela recente ocupação de Pilos. Não há dúvida alguma que tal medida lhes foi inspirada pela grande quantidade de homens jovens entre os hilotas, pois a conduta dos lacedemônios [espartanos] sempre foi guiada essencialmente por sua desconfiança daqueles. Os lacedemônios [espartanos] pediram-lhes que designassem aqueles que dentre eles que os houvessem melhor ajudado na guerra, dizendo que queriam alforriá-los. Na verdade, era apenas um ardil; eles achavam que aqueles que fossem os primeiros a reivindicar a liberdade por orgulho d’alma seriam igualmente os primeiros a sublevar-se.”
Fonte: (CARDOSO, Ciro F.S. Trabalho compulsório na Antigüidade: ensaio introdutório e coletânea de fontes primárias. Rio de Janeiro: Graal, 2003, p. 131).
Mais um exemplo da relação social da escravidão. Em Esparta, a escravidão era estatizada, os hilotas eram cedidos às famílias espartanas. O texto de Tucídedes relata a estratégia utilizada pelos espartanos para evitar rebeliões. Um exemplo da luta de classes, conceito marxista considerado obsoleto por seus detratores.

Um comentário:

isaque disse...

é legal esse texto porque ele fala sobre a escravidão espartana.